A peça mais antiga da coleção é o cálice de prata dourada que D. Gueda Mendes ofereceu ao Mosteiro de S. Miguel de Refoios. Obra-prima da ourivesaria do séc. XII, quer pela proporcionalidade e depuração das formas, quer ainda pela riqueza do programa iconográfico, representa, na copa, Cristo e os Apóstolos e, no pé, os símbolos dos evangelistas: S. Marcos é o leão; S. Mateus, o anjo; S. Lucas, o touro e S. João, a águia.

As figuras, bem como os seus enquadramentos, ao gosto românico, são executadas num relevo pouco acentuado que igualmente se observa nas legendas que contornam o bordo e a orla do pé.
Este cálice utiliza um programa decorativo profuso, sem paralelos nacionais, em que a representação figurativa prevalece sobre a geométrica ou vegetalista.