Esta cruz de rara beleza combina a utilização do jaspe com a prata, destacando-se o magnífico nó hexagonal que servirá de modelo para a elaboração de cálices e outras peças de ourivesaria nacional até meados do séc. XV. Ao recorrer à utilização de pilastras nas arestas da base anuncia já o domínio futuro da microarquitectura.

A representação escolhida enquadra-se no catecismo cristológico: de um lado o Calvário, do outro Cristo rodeado pelo Tetramorfo.