Nascido em 1908, viria a falecer em 1989. Publicou diversos trabalhos no campo da história da arte portuguesa, centrados sobretudo na temática da pintura renascentista, Adriano de Gusmão foi um dos fundadores da Associação Portuguesa de Museologia e da Secção Internacional de Críticos de Arte.

Este historiador de arte foi diretor do Museu entre 1975 e 1978. Da sua atuação destaca-se o modo como foi encenada uma das obras-primas da escultura medieval trecentista: o denominado “Cristo Negro”.