O MNMC apresentou, no Dia Mundial do Braille, o projeto ‘Maqueta acessível’. Este instrumento multi-sensorial está agora disponível, a cegos e normovisuais, para a apreensão e exploração do criptopórtico romano. Este projeto, desenvolvido com o apoio do voluntariado do MNMC, contou também com a colaboração da ACAPO – Delegação de Coimbra da Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal

Visando a aproximação a públicos cada vez mais heterogéneos e promovendo a acessibilidade e inclusão, esta proposta de comunicação acessível procura sobretudo fomentar a participação assídua de pessoas com necessidades especiais na vida do museu.

Um ano depois, comemorando o Dia Mundial do Braille, foi apresentada a maquete do Forum de Aeminium

Após a receção dos convidados, exploraram-se obras de arte no piso da escultura em pedra, que ocupou a parte da manhã

No início da tarde celebrou-se um protocolo entre a ACAPO - Delegação de Coimbra e o Museu Nacional de Machado de Castro

Seguiu-se a inauguração da maquete do Fórum Romano de Aeminium e uma conferência com o sugestivo nome de "A invenção de Louis Braille"

Foram realizadas ainda visitas ao Museu com cidadãos cegos e de baixa visão:
Em 1 de Maio de 2013 os visitantes tatearam esculturas de pedra não só no criptopórtico como na exposição do piso 0 da escultura do Românico e da Renascença Coimbrã.


No dia 3 de Dezembro comemorou-se o Dia Internacional da pessoa com deficiência pelo que a Acapo organizou um grupo em que metade estava de olhos vendados a tatear peças e o restante grupo auxiliava nesta iniciativa.

No dia 7 de junho de 2014, decorreu uma visita da ACAPO de Braga, onde se tatearam peças existentes no criptopórtico e na escultura do Românico.

Em 21 de Julho deslocaram-se ao Museu alguns elementos invisuais e amblíopes, dois dos quais acompanhados dos seus cães-guia. Tatearam a maquete do criptopórtico e forum de Aeminium, as peças Romanas do Criptopórtico e do Românico.

 Em 15 de Outubro de 2015, Dia da bengala Branca, o Museu recebeu um grupo de cegos e amblíopes bem como os seus acompanhantes da ACAPO-Coimbra.

.

Em frente da pintura "A Senhora da Rosa", do Séc.XV, ouviram a sua audiodescrição oral, pela Drª. Virgínia Gomes, e a seguir efetuaram a (re) montagem da obra, numa réplica em miniatura, em que os elementos principais da pintura funcionavam como peças de um "puzzle".

A partir desta atividade os cegos e amblíopes ficaram a perceber a pintura, que é em termos de coleção do Museu aquela que apresenta mais dificuldades de perceção.

Links a que poderá aceder:

Manual de Boas Práticas Artísticas e Culturais da ANACED (p. 103, 105 e 118).

Dia Internacional do Braille, MNMC’, CNotícias (com vídeo), 04.01.12